quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Gorda

Eu sei, eu sei.
Que bem mais de uma vez disse agora vai e tentava retomar com entusiasmo o emagrecimento.
Mas algo acontecia e deixava isso de lado.
Mas nunca desisti de algo que me incomoda todos os dias.
Não foi a gravidez que me engordou.
Foi a vida pós gravidez misturada com ansiedade da vida mãe
Trabalhando e acordando de madrugada.
Cansaço.
Falta de pulso firme e por aí vai.
O fato é que meu filho já está com quase 6 anos.
E eu com 40.
Quero ainda nessa existência usar minhas roupas lindas que continuam no meu armário.
E acho - de verdade - um porre ser gorda.
Não vejo nenhum glamour nisso.
Não caber nas minhas roupas de sempre é inconcebível.
Sei lá ... talvez tenha gente que não se preocupe em ser gorda, mas eu que já estive nos dois lados, sei que é melhor (em todos os sentidos) estar magra.

A conta é a seguinte: Tem 26 quilos sobrando em mim.
A ideia é reduzir isso aí de forma racional.
Pensei em 3 quilos por mês.
3 X 10 meses = 30 quilos.
Nossa que fácil.
Mas não é fácil mesmo.
Ainda mais com 40 anos.


A minha parte é comer direito. E me mexer.
Eu faço isso e a balança me mostra os resultados.


Se até o final do ano eu estiver pesando 63 quilos ... será sensacional !


SÓ NÃO CONSEGUE QUEM DESISTE !!!!!!!!!!!






Pin It now!

6 comentários:

Anônimo disse...

EsTAOS JUNTAS. 87 KG

Cris Campano disse...

Larissa, sua história se parece com a minha, que se parece com a de muitas mulheres por aí... Vou resumir: sempre lutei contra a balança, desde os meus 13 anos me vejo brigando com ela, alternando entre ser gorda e ser magra (efeito sanfona). Já engordei e emagreci incontáveis vezes, e confesso que sempre foi fácil fazer dieta. Aí aos 29 eu engravidei, minha filha nasceu, engravidei magra (1,68m de altura e 64 kg na época), mas engordei uns dezesseis quilos. Mas a gravidez não foi problema, depois que minha filha nasceu, de 80 kg fui pra 70 kg só nos primeiros quinze dias (acho que a amamentação ajudou) e o resto do peso eu perdi fácil até ela completar 1 ano. Enfim, quando ela completou um ano de idade eu pesava 60 kg, tava magra, me sentia linda, tudo cabia, qualquer roupa que eu vestia ficava bem em mim. Me sentia ágil, leve, disposta... Isso foi há 6 anos. Em 2014 comecei a ficar deprimida por conta de problemas pessoais e fui engordando, engordando e engordando a ponto de chegar aos 74 kg que peso hoje. Neste meio tempo engravidei de novo, mais uma vez engordei dezesseis quilos (desta vez cheguei a pesar 90 kg), mas quando meu filho nasceu perdi os dezesseis quilos que ganhei no primeiro mês de vida dele. Só que parou por aí. Ou seja, continuo pesando 74. Nada me serve, minha filha abre meu armário, vê aquelas roupas lindas e pergunta: "Mamãe, pq vc não usa seus vestidos, olha que lindos". Só que nada serve. Uma amiga minha (que tb tá gorda), diz que hoje em dia isso é fácil de resolver, pq a moda plus size tem bastante opção, que não devo me martirizar por isso, mas me recuso a comprar roupa para gorda porque a real é que não gosto, e não quero me acomodar neste peso. Não gosto de ser gorda, acho que o mundo tá melhorando neste sentido (de aceitação de pessoas gordas), mas eu prefiro ser magra por n motivos. Já me acusaram de "ligar muito para a opinião dos outros", mas não é esta a questão. Não é para os outros, é por mim mesmo. Me sinto bonita magra, e me sinto leve, ágil. Não sou muito vaidosa (do tipo que se penteia e se maqueia muito bem), e exatamente por isso é muito mais fácil estar magra, quando tô magra não preciso passar horas arrumando cabelo e fazendo maquiagem para compensar a gordura. Enfim, sou uma gorda mal resolvida. Meu guarda roupa atual se limita aos mesmos trapos de sempre, umas poucas blusas que tenho em tam GG e umas duas calças e poucos vestidos. Como vc, isso é algo que me incomoda TODOS OS DIAS. Começo dietas e elas fracassam, minha auto estima está um lixo. O final do ano só piorou as coisas, comi como nunca e engordei mais uns dois quilos. Agora estou tentando me reerguer e fazer caminhadas pelo menos (há muito tempo não fazia), quero perder 15 kg, mas fracionei minha meta em 3 etapas de 5 kg: ou seja, primeiro preciso chegar aos 70, depois aos 65 e, por último, o mais difícil, que será chegar aos 60 kg. E vamos lá! Te desejo muita sorte e empenho nesta luta! Adoro teu blog, porque como disse: vc se parece um bocado comigo e com um monte de mulher que eu conheço e isso é ótimo. Nos aproxima (mesmo que distantes). Abraço. Desculpa o textão.

Rô(QuerendoeAprendendo) disse...

Eu sei bem o que é isso, meu maior peso acredite não foi na gravidez e sim quando minha filha completou 1 aninho, cheguei os 90 quilos com 1.55 de altura, desde 2013 decidi que iria emagrecer comendo de tudo só controlando as quantidades, nessa época minha filha já estava com 6 anos, meu objetivo é chegar pelo menos nos 60 quilos, hoje me encontro com 65,3 kg, bora só não consegue quem desiste, estamos juntas, bjs Rô.

instagram: @roquerendoeaprendendo
blog: querendoeaprendendo.blogspot.com

Se quiser dar uma olhadinha em minha história ta tudo la no blog.

Paula disse...

Larissa lembro-me do inicio do seu blog. centenas de comentários...agora está tao vazio! voce mudou para o facebook? beijinhos de portugal

karla machado disse...

Eu também tenho a missão de perder 14kg esse ano!!! Estamos juntas!!

Priscila disse...

Hoje parei para pensar o que nos engorda... o que traz prazer em nós no comer, comer, comer...
Queria entender, de verdade.
Eu odeio ser gorda, mas eu amo comer, ate me sentir empanturrada.
Já pensou em terapia, ja fez? Se sim, qual a causa que eles falam ser a obesidade?