quarta-feira, 31 de julho de 2013

Ando numa fase de cansada de São Paulo. Uma vontade tão grande de ir morar longe, no interior ou até quem sabe em outro País. Essa vida que alguns acham bacana de trabalhar 12 horas por dia e ter como diversão ir ao Shopping aos finais de semana não combina comigo. Gosto de Paz e se tem algo que São Paulo não tem é tranquilidade. Todo mundo estressado, trânsito, grosserias por todos os lados, poluição, fila, gente chata de monte. Às vezes essa vida parece ser a correta, MAS não é. Tem muita alegria lá fora e estamos trancafiados nesse lugar estranho com gente esquisita. Sei lá. Fui logo ali em Sorocaba e como a vida é melhor e mais suave e sem essa vibe de "vida-entojada-chata". Vivemos uma falsa felicidade de viver na modernidade. Bom, desculpa o desabafo, risos. Pelo menos, me livrei - definitivamente - do caos dos Supermercados e minhas compras online no Extra Delivery continuam PERFEITAS. Já estou na quarta compra e, absolutamente, tudo perfeito. Durante o mês de Agosto vou seguir a linha de só gastar com o extremamente necessário e aprender a deixar de lado a futilidade da vida. Estou tentando escapar desse círculo ridículo do consumismo. E pela simplicidade da vida. 

Meu sonho, na verdade, nem é mais ser Promotora de Justiça, pois me desencantei com a área. Lento e sem celeridade. E talvez mude em outra existência, que não a minha. 

Meu sonho de consumo é morar naquela ilha no meio do Oceano Pacífico e trabalhar de qualquer coisa e viver como o mínimo. Seria mais feliz com aquele azul, cheiro e cores. Queria ter coragem e voar, começar do zero uma vida simples, única e feliz. Não preciso de casão, carrão ... quero só um digno para respirar, sentir um cheiro da vida, sorrir mais e não passar por dissabores dessa vida cinza. 

Não. Não queria ter uma vida chata dessas de trabalhar oito horas por dia dentro de uma sala trancafiada vivendo com um máscara até a aposentadoria. Muito triste uma vida assim. Isso vale até para o Promotor de Justiça. Vida mais sem sal essa nossa. 

PS: Não é TPM não.

Falando em coisas mais divertidas. Quero assistir o filme: "Amor Pleno" do mesmo diretor do magnífico Terrence Malic de "Àrvore da vida": 

"A trama é a de um homem infeliz (Ben Affleck) que vai a Paris e inicia uma relação com uma europeia (Olga Kurylenko). De volta aos EUA, com ela, vê o afeto diminuir. E reencontra uma ex-namorada (Rachel McAdams), com quem inicia um novo romance.
É aí que Amor Pleno se revela um longa de Malick não só na forma, mas também no conteúdo: ao buscar em outra pessoa o conforto para seus dramas, em vez de encontrar a paz de espírito, o homem apenas constata a incompletude de sua existência". 


Interessante, não ?






Pin It now!

70 comentários:

H disse...

Concordo com você..ter um trabalho simples, uma vida simples com amor e sem estresse é o que eu tb quero pra mim..mas, antes preciso passar num concurso..rss. Quero um trabalho digno pelo menos..sem as cobranças de um profissional privado...
Vamos lá..mas penso em trabalhar e viver pra ser feliz..e não morrer de trabalhar e de estresses! beijos e que venham dias floridos e ar puro!

Anônimo disse...

É exatamente o que pensamos, eu e meu marido. O que nos prende aqui é a escola dos filhos. Precisamos amadurecer essa idéia. Sabe Deus se o amanhã existirá e é tanta correria, tanto stress...Finais de semana muitas vezes comprometido com o trabalho, socorro!!! Preciso fazer igual conta a história de um empresário poderoso que resolveu separar os momentos de descanso e do trabalho. Num sábado, por telefone, ao ser informado que sua fábrica estava pegando fogo, ele respondeu: "É, na SEGUNDA-FEIRA terei muito trabalho." Achei ótimo! Nossos dias de descanso são também muito preciosos, não podemos nos escravizar. Um beijo para você.

Anônimo disse...

Larissa,
Morei em SP até os 14 anos. A melhor coisa que meus fizeram foi nossa mudança para o interior. Hoje moro em s. Carlos. A qualidade de vida é excelente. Aqui fiz faculdade e hoje tenho duas filhas. Tome uma atitude, não deixe sua vida passar. Bjs

Gordinha da silva disse...

tenho certeza q vc pensa assim depois do seu filho...eu tambem depois q meu filho nasceu, penso apenas em qualidade de vida, vida mais simples, com mais calma e olha q eu moro em sao luis do maranhao que nem é uma metropole...rsss

Maryluce disse...

Sei bem o que é trabalhar 8 horas por dia e se sentir prisioneiro de alguma coisa, sabendo que atitude tomar e tendo medo de buscar o novo. Te entendo totalmente e admiro seu desabafo. Desejo que consiga encontrar a vida de forma especial. Beijos!!!

Anônimo disse...

mesmo em grandes cidades podemos fazer escolhas que nos agradem mais...não existem só shoppings. Horto Florestal, parque Alfredo Volpi, terraço do Centro Cultural SP (pra tomar um sol, rs), casa Lina Bo Bardi, Sesc Pompeia, parque Burle Marx, parque Buenos Aires, festa da cerejeira no Parque do Carmo e tantos outros! se o seu desejo for mesmo se mudar, enquanto isso não é possível, pode fazer uma ou outra adaptação que te deixe mais feliz, ou menos chateada. :)

Anônimo disse...

Te entendo... às vezes também me sinto um peixe fora d'água nesse mundo de consumismo e futilidades. Mas o importante, mais do que o lugar onde estejamos, é se encontrar consigo mesma e com a paz interior... e, claro, ter paz interior na beira de um lago ou embaixo de uma árvore é muito mais gostoso!! Beijão... Claudia

Aline disse...

Larissa, você falou de Sorocaba. Eu moro em Vargem Grande Paulista, via Raposo Tavares, depois de Cotia e antes de São Roque. Posso dizer que é muito melhor que São Paulo viu e fica a 30 minutos de São Paulo, qdo preciso, é um pulinho. Já a vida aqui é bem mais tranquila, com uma carinha de interior sabe. Muito bom. A cidade em si não é bonita e não oferece nada de muito legal, mas a qualidade de vida já é uma grande coisa. Agora bom mesmo e muito de interior é a cidade de São Roque, é maravilhosa!!!!! Quando tiver oportunidade, venha num final de semana e visite-a, vá aos pontos turísticos e a estrada do vinho, é encantador. Bom é isso. #Ficadica.. bjos

Anônimo disse...

Oi Larissa me identifico muito com vc, também quero uma vida simples pra mim.

Fabi Sereia disse...

Concordo plenamente com você, na correria do dia a dia, ultimamente menos tem sido mais,principalmente na qualidade de vida!

Anônimo disse...

Larissaaaa vem morar aqui em Ubatuba!!! vc vai adorar! é bem sua cara! minhas amigas que ja tem filhos passeiam praticamente toda tarde com os filhos pela orla! é uma delicia de se ver e viver!!! vem! bjos Mônica

Anônimo disse...

Por que não ser promotora numa cidade do interior? vale a pena...

Anônimo disse...

Larissa vc tirou as palavras da minha boca!
Tb to nessa fase, querendo mudar pro interior!
Ñ vou esperar me aposentar pra fazer o q realmente quero!
Quero mais paz, mais qualidade, mais espaco, mais natureza, mais seguranca...enfim mais vida!!!
Eu e meu marido já estamos nos mexendo...visitando cidades, procurando terrenos, sei lá, alguma coisa a gente tem q fazer!
Faça isso tb! Vá em busca dos seus sonhos!
Bjs
Mari

Anônimo disse...

Larissa!

Tenho parentes que moram em SP e as vezes que vou visitá-los não suporto o trânsito, quero logo voltar pra casa. Bom, nasci aqui em Sorocaba e de tranquilidade eu entendo; o trânsito que existe aqui dura aproximadamente 3 minutos e todo Sorocabano sabe quais os horários e os pontos que existem, não penso em me mudar e pretendo criar meus filhos aqui também. Vem pra cá, você não vai se arrepender, tenha certeza!
Leticia Moreira

Dani disse...

Larissa saí de SP faz uns 7 anos! Morei 9 anos na Aclimação e qdo tive minha filha após uns dpois anos não aguentava mais a cidade, o trânsito, a violência, a correria! Final se semana tinha forças no máximo pra dar uma caminhada no Parque!!! Trabalhava numa multinacional e eu e meu marido chegávamos em casa apenas à noite e nossa filha ficava o dia inteiro na escolinha! Aí também comecei a fazer os mesmos questionamentos e querer uma vida bem mais simples!! Resolvemos arriscar e nos mudamos para Curitiba em busca da tão sonhada "qualidade de vida" !!! Chegando lá apenas meu marido trabalhava, ganhando 3 vezes menos, mas como já tínhamos juntado um bom dinheiro conseguimos comprar nosso apto. Apesar de ser uma linda cidade, não me adaptei ao clima e às pessoas que conheci pois eram muito fechadas! Comecei então a sentir saudades de SP, dos lugares, das pessoas, de tudo!! Pela primeira vez depois de anos me via dona de casa e mãe em período integral!!! O que antes era um sonho, na prática não era tão encantado assim! Após 5 anos lá hj me mudei para o interiorzão de SP, onde as pessoas são cordiais, todo mundo conhece todo mundo, mas sem as inúmeras possibilidades culturais e profissionais de uma cidade grande!! Conclusão: Acho que a verdadeira felicidade está dentro de nós e não no lugar que estamos ou para onde viajamos, ou nas coisas que compramos..., enfim em qualquer lugar do mundo dá pra ser feliz se vc conseguir descobrir o que realmente te faz feliz!!! Tem gente que já nasce sabendo disso, nasce pronta, aquelas pessoas que às vezes não tem nada e vivem sorrindo!!! Eu ainda estou nessa busca de conseguir me descobrir de verdade!!! bjs

Larissa disse...

Ainda bem que você está conseguindo enxergar isso agora! A felicidade não tem preço, por isso, se não está satisfeita com a vida que está levando, mude e se reinvente quantas vezes for preciso!

Um beijo.

Anônimo disse...

Larissa, céu azul e mar gostoso temos aqui no Nordeste do Brasil mesmo. Muito paulistano já fugiu pra cá... Moro em Aracaju e a vida aqui não é perfeita, mas muito mais tranqüila que em Sampa. Já Considerou um concurso público pra outra cidade?

Du disse...

Vem pra Itatiba !!
Sei que vc conheceu o SPA da cidade e aqui a cidade ta em pleno desenvolvimento, confesso que cresceu d+ e pra quem conheceu a cidade mais pacata ta estranhando mas nem em comparação à SP... emprego aqui é excelente, mta gente vem pra cá atrás das oportunidades. Ja pensou numa casa com jardim ,ar puro, parque para o seu filho e de quebra passeios pela cidades serranas da região... Pensa nisso nem vai ficar tão longe de SP e seus familiares..rs

Bjão

Anônimo disse...

Dificil questionamento ....eu também trabalho 8 horas por dia e as vezes me pego olhando pela janela do serviço o lindo ceu azul lá de fora ...

Keli disse...

Larissa, você disse tudo que ando sentindo nos últimos dias, em meio ao turbilhão da minha qualificação de doutorado. Moro numa cidade pequena (íssima), no interior do RS, mas me desloco diariamente para a cidade onde está a universidade na qual estudo, que tem um trânsito caótico e não está preparada para o crescimento, em termos de infraestrutura. Dou graças ao chegar em casa, ao poder andar na rua, as 20 horas e não encontrar ninguém, ao ter o silêncio do canto dos pássaros. É maravilhoso quando a gente percebe o bem e a felicidade que as coisas simples nos trazem. As vezes, penso em abandonar a carreira docente e científica, abrir um pequeno e charmoso restaurante e me realizar com isso, fornecer qualidade e bem estar. Com isso, andaria apenas algumas quadras, ao invés de 160 km. Mas também sou feliz, vendo o quanto posso mudar o destino de alguém, ensinando... Bom dia!

AMANDO SER QUEM SOU disse...

Olá Larisaa! Eu moro no interior de Minas, uma cidade de médio porte, cerca de 180mil habitantes, nunca tive vontade de mudar, justamente pelo fato de aqui ainda poder se ter a tranquilidade de andar por aí ainda sem muita neura com a violência, apesar de que até aqui as coisas estão mudando, porém mais lentamente que nos grandes centros... recentemente passei num concurso público pra área que sempre quis, o salário é modesto, mas são 6h diárias, o que me permite fazer minha segunda faculdade e ainda ter manhãs livres pra cuidar da minha casa... penso como vc: dinheiro só não é tudo!!!!
Bjos

Sasá disse...

Oi, pelo que li, vc está incorporando os conceitos do minimalismo ou simplicidade voluntária(se nunca ouviu falar dá uma busca no google). Eu também penso assim como vc, sou super simples, só costumo comprar o essencial e muitas vezes as pessoas me chamam de amarrada por conta disso.Só vou a salão de beleza pra cortar o cabelo. Mas amo viajar e isso sim gasta muito, rs! Todo ano viajo, seja pelo Brasil, seja para o exterior. Esse ano mesmo irei passar o Natal em Gramado e sei que lá tudo é o olho da cara. Mas eu trabalho justamente para isso,para poder me dá o prazer de conhecer lugares legais. Essa é a minha única vaidade:viajar! Não me importo com bens materiais, mas acho essencial ter um carro, se não tivesse gastaria pelo menos 2h a mais todos os dias no trânsito. Sou funcionária pública, trabalho apenas 6h por dia, mas ainda continuo estudando em busca de um concurso melhor, para poder me dar o luxo de conhecer o mundo,rs. Beijos.

Jose Joao disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Olá Larissa! Sou Portuguesa e moro numa ilha chamada Ilha da Madeira. Adoro morar aqui. Tudo muito verde. Temos cidades, mas fica tudo muito perto. Demoro de carro 15 minutos de casa para o trabalho e 5 minutos da praia mais próxima. Temos alguns shopping com lojas como a Zara, Mango, Massimo Dutti, Levis, Gant etc. Apesar de ser uma ilha tem de tudo um pouco. Mas é uma ilha muito tranquila. Acede no google e vê como moro num lugar muito lindo. Se quiser pode mudar-se para cá.

Beijinhos

Sandra / Portugal / Ilha da Madeira

Lis disse...

Excelente texto!!!

Electra disse...

Quando estive na Itália pude analisar muito bem tudo isso que você citou!
Principalmente em se tratando de gente jovem, sabe?
Via muitos jovens, no meio da tarde durante a semana, sentados em uma praça, desenhando/esboçando uma igreja, um museu ou pessoas. Sem pressa...sem preocupações...sem espírito competitivo que tanto nos rouba o melhor da vida.
Nós brasileiros, "copiamos" o estilo de vida dos americanos (infelizmente).
Viver é bem mais que competir, conquistar, correr e viver ansioso.
Existe uma frase que me faz refletir:

"Lembre-se que, neste filme chamado VIDA, nós morremos no final"...

Beijos

Amanda disse...

Larissa, você entrou dentro da minha cabeça e eu não vi? Eu entendo tudinho e compartilho de muitos sentimentos seus... vivemos dentro disso tudo e não conseguimos sair... são coisas difíceis de entender, assumir, viver... não deveriam, mas... por isso, ando lendo muito sobre minimalismo, dê uma procurada, creio que vai gostar! Felicidades sempre!!!

Denise disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Denise disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Denise disse...

Venho aqui todos os dias, adoro seu blog...mas nem sempre comento mas hj vou ter que comentar...rsrsrsrs...sabe que eu acho que essa mudança de pensamento que você teve, sobre profissão, cidade e do frio tem a ver com a chegada do seu filho,pq eu tbm já tive há exatamente 10 anos atrás qdo meu filho nasceu, antes eu amava o inverno, pensava na minha profissão e trabalhar pra conquistar muitas coisas, mas qdo ele nasceu, tudo mudou, eu passei a odiar o inverno, pq ele definitivamente não combina com nossos bebezinhos, eu abri mão da minha profissão pra ficar tempo integral com meu filho, e assim acabei abrindo mão também de novas conquistas, claro não estou criticando as mães que trabalham, mas no meu caso eu preferi ficar com meu filho em casa e nunca me arrependi, não temos casão e nem carrão, não vivemos com luxo, vivemos com o que necessitamos e de vez em quando temos algumas regalias, e agora estamos nos programando para termos mais um filho, pois nosso filho quer muito um(a) irmãozinho(a)...bjs Larissa, muitas felicidades pra vc e sua família...seu filhinho é lindo parabéns !

Nádia Galdino disse...

Adorei o comentário da Electra, pois estou me planejando para passar um mês na Itália daqui a um ano justamente pra ver esse modo de viver deles... o dolce far niente. Passei num concurso público aos 21 anos, em setembro completo 7 anos de serviço público e, apesar de ser grata pelo meu emprego e por ter conseguido estabilidade já tão nova, hoje já sei que não quero viver assim para sempre. Vejo alguns colegas à véspera da aposentadoria se lamentando por não terem feito algo diferente quando mais jovens. Moro em Brasília, aqui todo mundo TEM que passar em concurso público, é como se não existisse mais nada na vida, aff... sem contar também que todo mundo só vive em shopping. Sonho em morar em algum lugar que me permita escapar para caminhar e tomar uma água-de-coco na praia.

AH: me interessei bastante pelo filme!


:*

Sabrina disse...

Larissa, excelente seu "desabafo"! Como várias outraas pessoas que aqui comentaram, compartilho do seu sentimento. Nasci e vivi até os 19 anos numa cidade de interior, mas por conta da faculdade passei a viver numa capital. Depois de quase 10 anos, ainda não me adaptei à correria, à agitação, parece que nunca se tem paz, que não se consegue descansar... Além de trabalhar 10h por dia em escritório, nessa sensação de olhar pela janela e ver aquele céu azul lindo (ainda mais nessa época de dias lindos!). Enfim, temos sempre grandes questionamentos e é difícil encarar uma mudança, ainda mais uma radical... Mas se questionar pelo menos já é alguma coisa! Obrigada por sempre compartilhar palavras tão verdadeiras e tanta positividade! Bjs!

Sabrina disse...

ps: Vi o trailer desse filme 2 vezes já e parece ser lindo, tocante! Estou querendo ver tb!

Das Coisas Que Eu Vivo disse...

POST PERFEITO!!!
Esse excesso de informações está deixando as pessoas piradas!
Por uma vida mais simples e mais verdadeira!

Anônimo disse...

Adorei o post da Dani!!

Larissa, antes eu queria ser juíza, mas agora to me conformando em ser analista judiciária e ter mais sossego. Estabilidade e paz.

Dani disse...

Obrigada Larissa! Viver é isso: se reinventar todos os dias!!!! bjs!

Anônimo disse...

Ola!
Olha eu gostava de cidade grande ate meus 25 anos,porque nasci em Sao Paulo e fui morar no interior aos 8,entao quando adolecente achava um sonho morar em grandes cidades,hoje aos 38 concord com voce,nao existe qualidade de vida em Sao Paulo,ao menos nao como em lugares mais pacatos.Por melhores que sejam os servicos de uma grande cidade andar a pé,acordar sem buzinas e barulho de carro nao tem preço.Moro ha 5 anos fora do Brasil,morro de saudade,mas a qualidade de vida é melhor.Hoje em dia não é dificil se estabelecer em outra cidade ou mesmo país,amadureça sim essa idéia,não tenha medo,seu filho ainda é pequeno,pode facilmente ser alfabetizado em 2 linguas,o crescimento e descobertas compensam a saudade,te garanto,e hoje esta muito mais facil viajar longas distancias de aviao e ou 2 vezes ao ano,vale a pena sim. Moro na Africa do Sul por motive de trabalho,minha filha ja e adolecente e a educacao nos colegios ingleses aqui e excelente,ela gosta muito.Se hoje eu fosse escolher um lugar para viver,escolheria uma cidade pequena,nao de medio porte,pequena mesmo,no Brasil ou em algum país que nos dá bons serviços de saúde e educação,o mundo é grande demais,e nós hoje temos acesso a muitos lugares maravilhosos,é legal pensar fora da caixa.
Bjs

Anna

Anônimo disse...

Quanto ao consumismo, faça o seguinte exercício: quando entrar em uma loja e comprar coisas, escolha a maior fila para o caixa, enquanto estiver na fila olhe bem tudo que você pegou e pense se aquilo é mesmo necessário para sua vida,.. você vai ser mais feliz com essas coisas???
Depois que passei a fazer isso, deixei de comprar inúmeras coisas que compraria por puro impulso. Tente e verá que funciona!

Um vida mais simples traz muito mais felicidade!

Abraços e seja feliz!
Lorena.

Alessandra disse...

Perfeitamente colocado! Concordo em tudo! Acho que a maternidade faz isso com a gente, enxergar oq realmente importa e deixar as "vaidades" de lado. Já quis ser a melhor profissionalmente, que todos me reconhecessem...hj, nada disso. Larguei tudo e só volto a fazer alguma coisa profissional depois que tiver todos os filhos que quiser e der toda a atenção necessária a eles. Quero viver com serenidade e alegria!

Anônimo disse...

Oi Larissa... adoro seu blog... eu já fui uma executiva de banco em Sampa, rotina pesada e afins, mas sempre encarei como provisório, juntei muito dinheiro para mudar de vida. Mudei minha vida, de cidade, tenho um pequeno negócio, caminho na praia todos os dias, acompanho o crescimento de minha filha. Era feliz e continuo sendo, acho que é uma opção ser feliz com o que você tem, e é, sempre. Mas está infinitamente melhor agora, nem tenho como te explicar, são dez da manhã e estou na net lendo blogs, no meu trabalho, isso era impossível antes. Mas o bizarro é que meus amigos paulistanos até hoje estranham... não entendem como pude "jogar tudo fora". Quando quero vou a Sampa apenas para lazer. Acho que quem fica que está "jogando a vida fora". Mas cada um que sabe o que quer para si né! beijos.

Cláudia disse...

Lari, eu falei isso com o marido outro dia. Por mim eu vivia de plantar aipim e criar galinha. Lembra do plantio de subsistência? Pois é.
Bjo.

vanuza disse...

Oi Larissa, quanto tempo que não visito seu Blog, saudades...
Depois de tanto tempo sem vir aqui hoje vim dar uma espiadela e vi que minha filosofia de vida continua parecida com a sua rsrsrs nossa me identifiquei muito com o seu texto onde vc diz que tem vontade de sumir de SP, vc sabe que muitas vezes falo com o meu marido sobre isso, a nossa vida é tão curta para vivermos trancados um dia todo num escritório, depois perder horas num trânsito caótico, medo de tudo, assalto, violência, pessoas no mais alto nível de stress e não acuso somente aos outros é uma coisa contaminante o ambiente onde somos obrigados a viver, muitas vezes eu mesmo me pego surtando, xingando no trânsito e depois penso onde está minha sabedoria, meu alto controle...graças à Deus o que ninguém me tira é a capacidade de reflexão, o bom senso, a educação e também a minha vontade de melhorar mesmo que isso implique numa mudança radical na minha vida!! Tenho absoluta certeza que não conseguiria viver no meio do mato, isolada, mas gostaria de viver num local onde possa ter acesso a locais como os da cidade grande, como um Shopping, cinema, uma Pizzaria, mas também um local onde eu possa dormir em paz, sem medo de um bandido invadir a minha casa, um local onde eu possa parar no semáfaro e não sentir meu coração vir na garganta quando alguém com boné de aproximar do carro, um local onde eu possa sair de um banco sem a paranoia de estar sendo seguida Afff meu Deus, são os cidadãos do bem quem vivem enclausurados...fora outras coisas horrorosas que somos obrigados a conviver, esses Funks malditos com letras que incitam o crime, a prostituição,o sexo banalizado, meninas, moças e mulheres com uma postura tão baixa, tão feia, ...muitas pessoas perdendo sua moralidade através das Drogas, famílias sendo destruídas...meu Deus tudo isso passa com uma velocidade tão rápida diante dos nossos olhos, nenhuma medida é tomada pelos governantes...Ai Larissa me desculpe mas eu penso que é esse conjunto de absurdos que nos fazem ter vontade de SUMIR né !!! Minha querida ...um super beijo, seu Bebê Japinha Blond é muiiiiiiiitooooo Fofo, vou passar aqui mais vezes e juro que farei comentários menores,mas é que você para mim é como uma amiga que ficamos sem ver por muito tempo e depois queremos colocar o papo em dia rsrsrsrsr Beijos

Gisela disse...

Li teu post, e me chamou a atencao. Entao um dia eu resolvi tomar uma decisao, vivo na Italia, em meio as uvas... uma vida simples, mas cheia de sossego e tranquilidade. Meu marido sai todos os dias para trabalhar, e so consegue relaxar a hora que comeca a subir as colinas ate chegar em casa. Eu amo o campo, e com minha filhinha nos divertimos muito passeando pelas ruas tranquilas em meios a tantas galinhas, patos, lebres e alguns cavalos. Espero que voce consiga se realizar em tudo, e dar ao teu filho o tao esperado lugar para respirar!! Beijos

Anônimo disse...

Lindo post Larissa, lendo o texto me deu uma esperança que de ver que não existe no mundo só gente gananciosa que só pensa em bens materiais, que repara no que os outros tem e não no que são, que prefere ter uma vida tranquila em vez de se adoentar na poluição, no stress e na busca pelo que não precisa. Obrigada por compartilhar suas palavras concosco. Seja você tb muito feliz.

Anônimo disse...

Olá, muito bom o seu texto tenho o mesmo interesse em querer mudar de ares e realmente viver..

No trabalho sempre temos que "agradar" alguém, e no final do dia não temos tempo para brincar com os nossos filhos.

Também estou em fase de transição...

Mônica disse...

Não moro em São Paulo, adoro a minha cidade, mas igualmente tenho me questionado bastante sobre esse lance de passar quase 10 horas trancada numa sala, analisando papelada. Quero uma vida mais simples, com mais prazer.

Michelle disse...

Aii gente me desculpe eu nao moro em SP, mas moro no Brasil, estou tão cansada da corrupção, medo, violência, falta de educação e principalmente do "jeitinho brasileiro" coisa que acontece na cidade pequena e grande. To com abuso... Furar fila, os subornos, tudo feito de forma provisoria para beneficiar um grupo, jeitinho de conseguir as coisas por que é filho, sobrinho de alguem de influencia. Já vi até professoras levando a merendas das crianças para casa e contando vantagem. Estou muito chateada com o Brasil.. Na realidade com o brasileiro. Morei em Portugal e foi ótimo, nao tem preço você ter segrança, ver a saude, transporte publico funcionando perfeitamente. Ter acesso a cultura como algo natural e nao se sentir super explorada ao assistir um peça de teatro. Larissa acompanho vc há anos... Adoro muito. Bjsss

Anônimo disse...

achei lindo seu discurso, e te admiro demais, nao t conheço bem.... mas nao parece combinar com vc q tem em listas de desejos, relojos luxuosos, ipad mini, ipad, celular hitech, aquela agenda caraa....
para vc nao ser consumista, vc tem q querer, e consegue isso aqui mesmo em sampa...

Tatiane disse...

Cansei de São Paulo tbm,não dá mais para sair de casa tudo lotado,trânsito, fila para tudo, aglomeração, um transtorno, tenho fé que me mudarei algum dia para uma Cidadezinha, adoro Águas de Lindoia espero que seja para lá que irei no futuro.
Bjs

Bruxa do 203 disse...

Também cansei de São Paulo e saí daí há muito tempo.

De tudo que você comentou, o que mais me identifiquei foi com a parte das compras, até comentei no meu blog. Supermercado é para quem não tem o que fazer, a gente perde muito tempo.

Carol Camalionte disse...

Sabe, é o que tenho sentido, acabei de me mudar para SP, e essa obcessão por sucesso, dinheiro, acumular, +,+ e + tem me cansado da maneira mais profunda possível, como nunca me cansei de nada anteriormente...

Sandrinha disse...

Engraçado como eu estava pensando justamente nisto qdo entrei em seu blog e vi seu post...
Cansada... é a palavra que me traduz...
Bjs

Jocelyn Misplaced disse...

São Paulo é incompatível com a vida. É só dar um pulinho em algum lugar mais saudável que isso fica evidente.

Danicat disse...

Adorei seu desabafo ... sempre me pego pensando nessa coisa de trabalhar oito horas numa sala trancada com pessoas com quem não me identifico com aquela burocracia danada do serviço público e tal... para satisfazer minhas necessidades básicas e tbm meus delírios de consumo é tudo uma grande reflexão e um "saco"!
Agora quanto a morar no interior e sair de São Paulo foi a melhor coisa que já me aconteceu no começo não queria mas a vida me trouxe p/ cá no primeiro ano achi ei que fosse surtar sem cinema, sem shopping, sem mercado 24 horas, tudo fechando cedo mas quando entrei no ritmo daqui percebi que loucura vivia em São Paulo e que sim é gostoso passear em um shopping de vez em quando mas que isso não tem tanta importância p;/ mim hoje. Dou mais valor ao silêncio e a paz q tenho aqui e não troco por nada. Mas não se iluda tudo tem o lado bom e ruim aqui trabalho e oportunidades são escassas bom p/ quem já tá com a vida ganha... poico lazer p/ juventude, poucas opções culturais o sossego tbm tem seu preço! bjuuu

Erica disse...

Larissa, adorei seu texto. Estou começando a enxergar essa simplicidade agora. Parabéns!

Eliseu Vianna disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Oi Larissa,
Olha, eu tive várias oportunidade de sair de São Paulo. Já morei em três cidades diferentes do interior.
É realmente muito melhor; mas devo dizer que as pessoas que exercem cargos importantes, como juízes, promotores, perdem um bocado da privacidade. Alguns gostam, outros não.
Voltei para São Paulo por culpa minha (pressões familiares). Meu marido é do interior e jamais se adaptou em Sampa, mesmo após 20 anos. Eu já não me adapto! Já nem reconheço São Paulo, onde nasci e cresci. Eu fui criada em casa e brincava na rua. Parece mentira e nem sou muito coroa...
Me arrependo de ter voltado.
Agora, gostaria de corrigir o rumo, mas tenho que lidar com a minha filha adolescente, que acha que o mundo é a escola e que nunca será feliz em outra cidade.
Se pudesse voltar no tempo não teria voltado a São Paulo.
Tudo isso para dizer que vc é jovem e seu filho bebê. Tem uma vida maravilhosa pela frente. Faça seus planos, aproveite que os bebês são portáteis e seja feliz!
Bjs,

Anônimo disse...

Te entendo perfeitamento... Mas tbem te falo que nao e onde vivemos... e sim como estamos vivendo... isso tudo que sentimos vem de dentro... pois podemos ser mais simples e viver melhor em qualquer lugar, basta querer, acho que tudo comeca dentro de nos...

Anônimo disse...

Larissa, vim para São Paulo por causa do trabalho...mas confesso que ando cansada dessa vida aqui. Não vejo a hora de morar em um lugar mais calmo. Conheço pessoas que adoram isso aqui, mas pra mim não dá...enquanto isso...vivo sonhando com mudança e qualidade de vida.
P.S.: Te conheci no marcado Hirota do bairro Aclimação, lembra? estava vc e seu bebê :)
Beijos.
Rosângela

FUGAS disse...


Nossa que legal rever vc! Fui há alguns anos em um encontro no shopping Santa Cruz, acompanhava seu blog e ai sumi, tive uma bb,agora volto e vejo que vc tbm teve,que alegria!qtal uma matéria sobre dieta na amamentação? Engordei muito e quero secar os kg sem prejudicar amamentação, beijos!

cintia disse...

nossa linda, as vezes vc some, rssss,passo sempre por aki ver suas postagens e gosto muito, só uma coisinha ja vi vc postar mas não me lembro qual maquina vc usa para fazer suas fotos, amuuu perfeitas!!!!bjuuu cintia

Biju disse...

Até quando está introspectiva você é leve, Larissa

Edilaine disse...

É... moro em Matinhos/Paraná...
Reclamo as vezes de não ter muita opção de diversão... reclamo do trabalho, em escola, furdunço de criança, salário meia boca... mais pensando por esse lado... devo dar valor... por poder botar um havaianas no pé... montar na bike e sair por aí... pq isso pra gente é normal... fico buscando o status... bom emprego em "escritório fechado", no silêncio e no stress mental... espero que eu não me arrependa!

carla disse...

meu sonho é viver no meio do mato kkk

Anônimo disse...

Me identifiquei totalmente com o teu texto! Estou nessa fase também... fui demitida semana passada e fiquei feliz. Sair da correria parece que faz a vida passar mais devagar... vai ser muito bom um tempinho para fazer minhas coisas...

Anônimo disse...

já assistiu Foi Apenas um Sonho?

Larissa disse...

Larissa, este foi o seu melhor post ever! amei, sabe por que? porque quando começamos a descobrir pessoas que pensam exatamente como a gente, é maravilhoso! vamos juntas! beijo.

Beta disse...

Uai... Seja advogada! Quer coisa melhor? Liberdade e pode ser em qq lugar do Brasil

Anônimo disse...

Vem pra Ubatuba!!!

Carlos Nunes disse...

Larissa, acompanho seu blog há anos, e muito ele já me ajudou com reflexões e ideias práticas. Esse seu último post foi maravilhoso, concordo plenamente. Ainda não consegui largar de vez essa vida 'normal', mas já dei alguns passos. Há oito anos me mudei de Petrópolis para Iguaba Grande (uma cidade minúscula no RJ) e como ganhei em qualidade de vida! Às vezes observo meus colegas de trabalho tão envolvidos nesses assuntos de festinha pros filhos, shopping e outras coisas que imagino como eles conseguem chamar isso de VIDA???
Boa sorte, curta muito seu filhote (isso passa tão rápido... na semana passada minha 'garotinha' fez 15 anos e me apresentou o namorado - aí a ficha caiu, rsrsrs). Siga seu instinto e seu coração, e felicidades!!!